sábado, 10 de março de 2018

IV ROMARIA DIOCESANA DA DIVINA MISERICÓRDIA

Acontecerá, no dia 08 de abril de 2018, a IV Romaria Diocesana da Divina Misericórdia no Santuário Diocesano da Divina Misericórdia em Frederico Westphalen/RS.

Teremos a seguinte programação:
09:00     Acolhida dos Romeiros – Procissão início na Capela do Bairro Aparecida
09:30     Santa Missa com a presença dos Anjinhos da Misericórdia
12:00     Almoço – reserve seu ingresso
13:00     Teatro sobre as revelações de Jesus a Santa Faustina
14:00     Adoração e Bênção do Santíssimo Sacramento
15:00     Santa Missa da Misericórdia e bênção dos quadros de Jesus Misericordioso

Será um dia de bênçãos, de muita graça.
Como é dia de indulgência plenária, haverá diversos sacerdotes para atendimento das confissões.

Convidamos todos a rezar esta oração escrita por São João Paulo II:

ATO DE CONSAGRAÇÃO DO MUNDO À DIVINA MISERICÓRDIA – para ser rezada todos os dias
Deus, Pai misericordioso que revelaste o Teu amor no Teu Filho Jesus Cristo e o derramaste sobre nós no Espírito Santo, Consolador confiamos-te hoje o destino do mundo e de cada homem. Inclina-te sobre nós, pecadores cura a nossa debilidade vence o mal faz com que todos os habitantes da terra conheçam a tua misericórdia para que em Ti, Deus Uno e Trino encontrem sempre a esperança. Pai eterno pela dolorosa Paixão e Ressurreição do teu Filho tem misericórdia de nós e do mundo inteiro. Amém!

A programação que antecede a IV Romaria inicia no dia 29 de março de 2018.
Vamos ter no Santuário as celebrações do Tríduo Pascal e a novena da Misericórdia começa na Sexta-feira Santa.
Acompanhe os horários:

TRÍDUO PASCAL E NOVENA DA MISERICÓRDIA
29/03/2018 – Quinta-feira Santa – Missa do Lava Pés e Instituição da Eucaristia
1º DIA) 30/03/2018 Sexta-feira Santa – 15h – Celebração da Paixão do Senhor. Tema: A Misericórdia Divina e a humanidade inteira
2º DIA) 31/03/2018 Sábado Santo - Vigília Pascal -Tema: A Misericórdia Divina e os sacerdotes e religiosos – Bênção das velas
3º DIA) 01/04/2018 Domingo da Páscoa– 15:30h Tema: A Misericórdia Divina e as almas piedosas e fieis – bênção dos pães
4º DIA) 02/04/2018 Segunda-feira – 19:30h Tema: A Misericórdia Divina e aqueles que ainda não a conhecem – bênção do sal.
5º DIA) 03/04/2018 Terça-feira - 19:30h Tema: A Misericórdia Divina e os Cristãos separados da unidade da Igreja – Bênção das chaves das casas e dos carros.
6º DIA) 04/04/2018 Quarta-feira – 19:30h Tema: A Misericórdia Divina e os mansos – Benção das famílias
7º DIA) 05/04/2018 Quinta-feira – 19:30h Tema: A Misericórdia Divina e os que a veneram e a glorificam – Bênção da saúde
8º DIA) 06/04/2018 Sexta-feira – 19:30h Tema: A Misericórdia Divina e as almas que se encontram na prisão do purgatório – Bênção das crianças
9º DIA) 07/04/2018 Sábado – 19:30h Tema: A Misericórdia Divina e as almas tíbias – Bênção dos objetos de devoção


Maiores informações:
whatssapp: 55 999326504 / 55 999398288

sábado, 16 de setembro de 2017

FORMAÇÃO MISSIONÁRIA

A Comunidade Morada do Senhor realizou um encontro de formação missionária neste sábado, dia 16 de setembro de 2017.
Participaram missionários que já faziam parte da equipe juntamente com novos membros que vêm a somar, a tornar esta equipe maior e fortificada, com a graça de Deus.
Louvamos a Deus pela disponibilidade e por terem respondido generosamente ao chamado de Deus.

quinta-feira, 23 de março de 2017

A Virgem de Guadalupe: desafio à ciência moderna

Para o ateu moderno, acostumado a dar valor só ao que julga provado pela ciência, o milagre de Guadalupe, no México, é no mínimo constrangedor. Pois a ciência prova que houve milagre!
Valdis Grinsteins
Uma pessoa não totalmente atéia, mas profundamente contaminada pelo pensamento moderno, dizia-me que aquilo que não é provado cientificamente não existe. Mas — típica contradição da alma humana — não queria falar do Santo Sudário de Turim, pois as descobertas científicas sobre ele a abalavam; e se fosse obrigada a olhar o assunto de frente, teria de negar o valor da ciência ou... converter-se.
Vejamos o problema do ponto de vista desses amantes indiscriminados da ciência. Para eles, tudo aquilo que não se demonstra em laboratório entra para o domínio da fantasia. Ciências, com C maiúsculo, são para eles a Física, a Química, a Biologia, etc. Já a História lhes parece suspeita, pois é irrepetível e muito subjetiva, ao depender de testemunhas. Muito mais ainda se for história eclesiástica, e o auge do suspeito lhes parecem as histórias dos milagres. São como o Apóstolo São Tomé, que precisou ver para crer. Para esse tipo de almas incrédulas, que havia até entre os Apóstolos, Nosso Senhor realiza certo tipo de milagres, de forma que não possam alegar a falta de provas. E uma dessas provas é a imagem de Nossa Senhora de Guadalupe, no México.(1)
Breve resumo da história
Imagem miraculosa de Nossa Senhora de Guadalupe
No dia 9 de dezembro de 1531, na cidade do México, Nossa Senhora apareceu ao nobre índio Quauhtlatoatzin — que havia sido batizado com o nome de Juan Diego — e pediu-lhe que dissesse ao bispo da cidade para construir uma igreja em sua honra. Juan Diego transmitiu o pedido, e o bispo exigiu alguma prova de que efetivamente a Virgem aparecera. Recebendo de Juan Diego o pedido, Nossa Senhora fez crescer flores numa colina semi-desértica em pleno inverno, as quais Juan Diego devia levar ao bispo. Este o fez no dia 12 de dezembro, acondicionando-as no seu manto. Ao abri-lo diante do bispo e de várias outras pessoas, verificaram admirados que a imagem de Nossa Senhora estava estampada no manto. Muito resumidamente, esta é a história, que foi registrada em documento escrito. Se ficasse só nisso, facilmente poderiam os céticos dizer que é só história, nada há de científico.
Os problemas para eles começam com o fato de ter-se conservado o manto de Juan Diego, no qual está impressa até hoje a imagem. Esse tipo de manto, conhecido no México como tilma, é feito de tecido grosseiro, e deveria ter-se desfeito há muito tempo. No século XVIII, pessoas piedosas decidiram fazer uma cópia da imagem, a mais fidedigna possível. Teceram uma tilma idêntica, com as mesmas fibras de maguey da original. Apesar de todo o cuidado, a tilma se desfez em quinze anos. O manto de Guadalupe tem hoje 475 anos, portanto nada deveria restar dele.
Uma vez que o manto (ou tilma) existe, é possível estudá-lo a fim de definir, por exemplo, o método usado para se imprimir nele a imagem. Comecemos pela pintura. Em 1936, o bispo da cidade do México pediu ao Dr. Richard Kuhn que analisasse três fibras do manto, para descobrir qual o material utilizado na pintura. Para surpresa de todos, o cientista constatou que as tintas não têm origem vegetal, nem mineral, nem animal, nem de algum dos 111 elementos conhecidos. “Erro do cientista” — poderia objetar algum cético. Difícil, respondemos nós, pois o Dr. Kuhn foi prêmio Nobel de Química em 1938.(2) Além do mais, ele não era católico, mas de origem judia, o que exclui parti-pris religioso.
No dia 7 de maio de 1979 o prof. Phillip Serna Callahan, biofísico da Universidade da Flórida, junto com especialistas da NASA, analisou a imagem. Desejavam verificar se a imagem é uma fotografia. Resultou que não é fotografia, pois não há impressão no tecido. Eles fizeram mais de 40 fotografias infravermelhas para verificar como é a pintura. E constataram que a imagem não está colada ao manto, mas se encontra 3 décimos de milímetro distante da tilma. Para os céticos, outra complicação: verificaram que, ao aproximar os olhos a menos de 10 cm da tilma, não se vê a imagem ou as cores dela, mas só as fibras do manto.
Convém ter em conta que ao longo dos tempos foram pintadas no manto outras figuras. Estas vão se transformando em manchas ou desaparecem. No caso delas, o material e as técnicas utilizadas são fáceis de determinar, o que não acontece com a imagem de Nossa Senhora.
Os olhos da imagem
Um olho da Imagem visto de perto

Talvez o que mais intriga os cientistas sobre o manto de Nossa Senhora de Guadalupe são os olhos dela. Com efeito, desde que em 1929 o fotógrafo Alfonso Marcué Gonzalez descobriu uma figura minúscula no olho direito, não cessam de aparecer as surpresas. Devemos primeiro ter em vista que os olhos da imagem são muito pequenos, e as pupilas deles, naturalmente ainda menores. Nessa superfície de apenas 8 milímetros de diâmetro aparecem nada menos de 13 figuras! O cientista José Aste Tonsmann, engenheiro de sistemas da Universidade de Cornell e especialista da IBM no processamento digital de imagens, dá três motivos pelos quais essas imagens não podem ser obra humana:



• Primeiro, porque elas não são visíveis para o olho humano, salvo a figura maior, de um espanhol. Ninguém poderia pintar silhuetas tão pequenas;
• Em segundo lugar, não se consegue averiguar quais materiais foram utilizados para formar as figuras. Toda a imagem da Virgem não está pintada, e ninguém sabe como foi estampada no manto de Juan Diego;
• Em terceiro lugar, as treze figuras se repetem nos dois olhos. E o tamanho de cada uma delas depende da distância do personagem em relação ao olho esquerdo ou direito da Virgem.
Esse engenheiro ficou seriamente comovido ao descobrir que, assim como os olhos da Virgem refletem as pessoas diante dela, os olhos de uma das figuras refletidas, a do bispo Zumárraga, refletem por sua vez a figura do índio Juan Diego abrindo sua tilma e mostrando a imagem da Virgem. Qual o tamanho desta imagem? Um quarto de mícron, ou seja, um milímetro dividido em quatro milhões de vezes. Quem poderia pintar uma figura de tamanho tão microscópico? Mais ainda, no século XVI...
Tentativa de apagar o milagre
Assim como meu conhecido não desejava falar do Santo Sudário, outros não querem ouvir falar dessa imagem, que representa para eles problemas insolúveis. O anarquista espanhol Luciano Perez era um desses, e no dia 14 de novembro de 1921 colocou ao lado da imagem um arranjo de flores, dentro do qual havia dissimulado uma potente bomba. Ao explodir, tudo o que estava perto ficou seriamente danificado. Uma cruz metálica, que ficou dobrada, hoje se conserva no templo como testemunha do poder da bomba. Mas... a imagem da Virgem não sofreu dano algum.
E ainda ela está hoje ali, no templo construído em sua honra, assim como uma vez esteve Nosso Senhor diante do Apóstolo São Tomé e lhe ordenou colocar sua mão no costado aberto pela lança. São Tomé colocou a mão e, verificada a realidade, honestamente acreditou na Ressurreição. Terão essa mesma honestidade intelectual os incrédulos de hoje? Não sei, porque assim como não há pior cego do que o que não quer ver, não há pior ateu do que o que não deseja acreditar. Mas, como católicos, devemos rezar também por esse tipo de pessoas, pedindo a Nossa Senhora de Guadalupe que lhes dê a graça de serem honestas consigo mesmas.
E-mail do autor: valdisgrinsteins@catolicismo.com.br
Fonte:
http://catolicismo.com.br/materia/materia.cfm/idmat/78F44B7B-3048-560B-1C0E887EA3F01DB6/mes/Janeiro2006


quarta-feira, 19 de outubro de 2016

LANÇADO MARCO DO ANO DA MISERICÓRDIA

DIOCESE DE FREDERICO WESTPHALEN LANÇA O MARCO DO JUBILEU DO ANO SANTO DA MISERICÓRDIA

No dia 09 de outubro, às 19 horas, em missa celebrada na Catedral Santo Antônio de Frederico Wstphalen/RS, Dom Antonio Carlos Rossi Keller lançou o marco do Jubileu da Misericórdia para a Diocese de Frederico Westphalen: a construção do Santuário da Divina Misericórdia.


Veja na íntegra a missa celebrada por D. Antonio
www.youtube.com


Esta deve ser a obra concreta que a Diocese assumirá na conclusão deste Ano Santo. Para que possa ser lembrado que o Ano da Misericórdia deixou esta marca do amor Misericordioso de Jesus através de um belo e amplo santuário. Este será construído junto a Comunidade Morada do Senhor, possibilitando acolher o maior número de Romeiros e peregrinos de nossa Diocese e também de dioceses vizinhas, que vem crescendo a cada ano. A Comunidade Morada do Senhor é responsável pela construção, pelos cuidados, bem como pelos atendimentos e celebrações neste Santuário.
Para que a construção do Santuário da Divina Misericórdia se concretize, precisamos nos unir nas orações, na divulgação da campanha e na colaboração financeira tornando-se um devoto benfeitor do Santuário através de uma das seguintes formas:.
docs.google.com


A Comunidade se compromete em incluir seu nome e intenções nas orações comunitárias e nas missas celebradas semanalmente no Santuário da Divina Misericórdia.
Você receberá mensalmente uma carta informando sobre o andamento da obra.

Seja você um devoto benfeitor do Santuário Diocesano da Divina Misericórdia.

PARA ONDE VAI A SUA CONTRIBUIÇÃO?
EVANGELIZAÇÃO
Sua contribuição sustenta a missão da Comunidade Morada do Senhor que é fazer com que cada pessoa se reconheça Morada de Deus através da experiência com Jesus Misericordioso.
CONSTRUÇÃO DO NOVO SANTUÁRIO
Com sua ajuda material será construído o marco do Ano da Misericórdia na Diocese de Frederico Westphalen, o novo Santuário Diocesano da Divina Misericórdia, que terá capacidade para 400 pessoas.
VOCAÇÕES
Com suas orações e contribuição você se torna promotor vocacional, auxiliando a manutenção dos membros da Comunidade Morada do Senhor, bem como das novas vocações.


COMO CONTRIBUIR?

BOLETO BANCÁRIO
Ao preencher o formulário, você precisa informar o seu CPF e data para vencimento do boleto. E receberá em sua casa os boletos conforme seu pedido para efetuar sua doação. O Boleto pode ser pago preferencialmente no Banrisul ou conveniados, ou em qualquer banco, lotéricas.

DEPÓSITO IDENTIFICADO
Ao realizar a sua contribuição por meio do depósito identificado em uma das nossas contas, não deixe de informar seu nome completo e CPF.

DÉBITO AUTOMÁTICO
Caso opte pelo débito automático, você tem mais facilidade, além de evitar atrasos em suas contribuições. Este serviço é isento de tarifas e pode ser autorizado na sua Agência Bancária, pela Internet. Você pode suspender o débito automático quando quiser.

CONTATO:
TEL.: 55 99326504 (VIVO) 55 84299620 (OI)
          55 99765908 (VIVO)

Associação Fraterna Morada do Senhor
Cx. Postal 63
Frederico Westphalen – RS

CEP 98400 000

terça-feira, 11 de outubro de 2016

PEREGRINAÇÃO MINISTROS E CATEQUISTAS DAS PARÓQUIAS DE PINHEIRINHO DO VALE E PALMITINHO

No última dia 08 de outubro estiveram no Santuário Diocesano da Divina Misericórdia 110 peregrinos entre Ministros Extraordinários da Comunhão Eucarística e Catequistas da Paróquia de Pinheirinho do Vale e Palmitinho, acompanhados de seus párocos Pe. Edejalmo e Pe. Gerônimo, respectivamente.







Depois da reflexão e preparação para a passagem pela Porta Santa os peregrinos puderam receber o Sacramento da Reconciliação. Atenderam as confissões Pe. Edejalmo Hubert, Pe. Gerônimo Girardi, Pe. Leandro Piffer e Pe. Neimar Demarco.







Amigos da Comunidade Morada do Senhor prepararam um gostoso almoço para os peregrinos.



Encerramos o dia com a Santa Missa.








Muito obrigado aos párocos que organizaram esta peregrinação, aos peregrinos. Foi um dia muito lindo, onde pudemos fazer a experiência da Misericórdia Divina.